Siga-nos

Mantenha-se atualizado com as notícias mais importantes

Ao clicar no botão Inscrever-se, você confirma que leu e concorda com nossos Política de Privacidade e Termos de Uso
Área do Aluno
Análise de Potabilidade da Água Análise de Potabilidade da Água
f: ekolabos

Análise de Potabilidade da Água

O objetivo da Análise de Potabilidade de Água é atestar a pureza da água para distribuição ou consumo, com intuito de impedir o desenvolvimento ou proliferação de doenças através de água impura, maximizando a qualidade da água para consumo. A Análise é completa e verifica possíveis fatores de risco de contaminação presentes na água.
Nome Técnico: Execução da Análise Técnica de Potabilidade da Água e Emissão do Relatório Técnico

Referência: 61586

Ministramos Cursos e Treinamentos; Realizamos Traduções e Versões em Idioma Técnico: Português, Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Mandarim, Alemão, Russo, Sueco, Holandês, Hindi, Japonês e outros consultar

Análise de Potabilidade da Água
O objetivo da Análise de Potabilidade de Água é atestar a pureza da água para distribuição ou consumo, com intuito de impedir o desenvolvimento ou proliferação de doenças através de água impura, maximizando a qualidade da água para consumo. A Análise é completa e verifica possíveis fatores de risco de contaminação presentes na água.

O que é fatores de risco de contaminação?
Qualquer propriedade, composição ou elemento presente na água que comprometa a qualidade desta para consumo humano, como o pH, cor, acidez, turbidez, alcalinidade, entre outros. É importante que a água distribuída esteja livre de contaminantes para evitar a proliferação de doenças através da água.

Carga horária: Pré-Requisitos: Alfabetização OU Nível Técnico

Escopo Normativo

Análise de Potabilidade da Água

Escopo dos Serviços:
Inspeções e verificações quando pertinentes a ser avaliadas pela nossa Equipe multidisciplinar:
Análise microbiológica;
Documentação referente ao tratamento de água, quando aplicável;
Histórico de laudos de conformidade;
Validade das vistorias, laudos, prontuários;
Coleta de amostra de água para análises físico-químicas;
Avaliações químicas e biológicas necessárias ao processo de tratamento de água;
Procedimentos realizados em laboratório;
Floculação;
Composição da água;
Presença de Reagentes;
Competências e estruturas;
Responsabilidades;
Gerenciamento de Riscos Ocupacionais;

Presença de ferro, alumínio, flúor, oxigênio dissolvido;
Acides e pH da água;
Cor e alcalinidade;
Estanqueidade;
Inspeção;
Execução de ensaio;
Campo de aplicação;
Medidas de prevenção;
Identificação de exposição Ocupacionais;
Agentes físicos, químicos e biológicos;
Controle de Riscos;
Limpeza e desinfecção;

Soluções e dosagem de produtos químicos;
Equipamentos de filtragem, quando houver;
Casos em Estações de Tratamento de Água;
Procedimentos adequados de armazenamento de água;
Padrões de potabilidade;
Avaliação preliminar de Riscos;

Procedimentos Ocupacionais de desinfecção, quando aplicável;
Aptidão dos profissionais;
Preparação para emergência;

Checagem dos itens de segurança;
Avaliação qualitativa e quantitativa.

Disposições Finais:
Caderno, Registro fotográfico e Registros de Avaliação;
Registro das Evidências;
Identificação dos Profissionais (Engenheiros e Peritos);
Conclusão do PLH;
Proposta de melhorias corretivas;
Quando Aplicável: Certificado de Calibração;
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica) e/ou C.R.T. (Certificação de Responsabilidade Técnica).

Cabe a Contratante enviar por Sedex para nosso Laboratório em SP:
01 Amostra de um 1 Litro armazenado em Vidro de Âmbar tampados e lacrados.
Registro fotográfico/filmagem da coleta da amostra.

É facultado à  nossa Equipe Multidisciplinar a inserção de normas, leis, decretos ou parâmetros técnicos que julgarem aplicáveis, sendo relacionados ou não ao escopo de serviço negociado, ficando a Contratante responsável por efetuar os devidos atendimentos no que dispõem as legislações, conforme estabelecido nas mesmas.

Análise de Potabilidade da Água

Validade

Análise de Potabilidade da Água

Validade das Inspeções: ANUAL exceto se ocorrer quaisquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, finalidades, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de nova Inspeção;
c) mudança de empresa;
d) troca de máquina ou equipamento.
Será emitido Documento Técnico por Profissionais Legalmente Habilitados Perito e Engenheiro de Segurança do Trabalho com ART;
Os Equipamentos utilizados possuem Atestado de Aferição vigente e demais equipamentos são analógicos.

Análise de Potabilidade da Água

Complementos

Para emissão de laudo de potabilidade e desinfecção (assepsia) de caixas d’água e reservatórios de água potável o profissional ou empresa deve:
1-Providenciar análises físico químicas da água após limpeza;
2-Providenciar laudo de análises microbiológicas.
Obs:
1- Análises Físico-Químicas: Aspecto, Sabor e Odor, Turbidez, Cloro Livre,  pH, Sólidos pós evaporação;
2- Análises Microbiológicas: Contagem de Bactérias Heterotróficas, Coliformes Totais, Escherichia Coli e algas;
.-Emitir Laudo Técnico com cópias originais das análise acima com assinatura e CRQ do responsável das análises;
-Possuir Certificado de cumprimento satisfatório do Curso de Capacitação Funcional em Limpeza e Desinfecção de Caixas de Água;
Importante: 
De acordo com o Decreto Estadual nº 12.342, de 27/09/1978, Artigo 10, § 2. “São obrigatórias à limpeza e a desinfecção periódica dos reservatórios prediais, na forma indicada pela autoridade sanitária”. É de devida importância que tais procedimentos sejam realizados semestralmente devido as chances de contaminação por micro-organismos patogênicos presentes em águas de reservatórios, podendo causar doenças como Gastroenterites infecciosas, Dengue, Hepatite A, Esquistossomose e Leptospirose. 

Cabe a Contratante fornecer quando for o caso:
Fornecer os meios, Projetos arquitetônicos em AutoCad ou PDF;
Projeto Arquitetônico da Empresa que efetuará ou efetuou a instalação e contato com os mesmos.
Lista de todos os equipamentos elétricos e eletrônicos contidos nas áreas com marca, potência modelo, tipo e temperatura;
Se tiver inflamáveis e/ou combustíveis armazenados com mais 200 litros no total torna-se obrigatório fazer o Prontuário da NR-20.
Demais documentos e procedimentos necessários previstos antes ou depois da  Inspeção técnica.

NÃO estão inclusos no Escopo do Serviço:
1. Elaboração de Projeto de Arquitetônico;*
2. Elaboração de Projeto de Instalação;*
3. Elaboração do Memorial de Cálculo*
4. Elaboração de Memorial de Cálculo de Suporte;*
5. Elaboração de Manual de Instrução Técnica Operacional e de Manutenção;*
* (Consultar valor)

A justificativa da relação Preço e Valor:
A precificação de qualquer serviço exige expertise relacionada ao mundo dos negócios e o conceito de Valor é qualitativo, diretamente ligado ao potencial de transformação existente naquele conteúdo. O serviço tem mais valor quando tem conhecimento e segredos profissionais agregados e o preço é uma variável consequente do valor, cujo objetivo é transmiti-lo em números. Assim, quanto maior for o valor agregado ao conteúdo, maior será o seu preço justo. Portanto, não autorizamos a utilização de nossas Propostas como contraprova de fechamento com terceiros de menor preço, ou de interesse secundário, Qualidade, Segurança, Eficiência e Excelência, em todos os sentidos, são os nossos valores.

Análise de Potabilidade da Água

Saiba Mais

Saiba Mais: Análise de Potabilidade da Água:

4.1 Medidas preventivas
4.1.1 Sempre que os níveis de ação para exposição ocupacional ao calor, estabelecidos no Quadro 1 forem excedidos, devem ser adotadas pela organização, uma ou mais das seguintes medidas:
a) disponibilizar água fresca potável (ou outro líquido de reposição adequado) e incentivar a sua ingestão; e
b) programar os trabalhos mais pesados (acima de 414W – quatrocentos e quatorze watts), preferencialmente nos períodos com condições térmicas mais amenas, desde que nesses períodos
não ocorram riscos adicionais.
4.1.2 Para os ambientes fechados ou com fontes artificiais de calor, além do subitem 4.1.1, o empregador deve fornecer vestimentas de trabalho adaptadas ao tipo de exposição e à natureza da atividade.
4.2 Medidas corretivas
4.2.1 As medidas corretivas visam reduzir a exposição ocupacional ao calor a valores abaixo do limite de exposição.
4.2.2 Quando ultrapassados os limites de exposição estabelecidos no Quadro 2, devem ser adotadas pela organização uma ou mais das seguintes medidas corretivas:
a) adequar os processos, as rotinas ou as operações de trabalho;
b) alternar operações que gerem exposições a níveis mais elevados de calor com outras que não apresentem exposições ou impliquem exposições a menores níveis, resultando na redução da exposição;
c) disponibilizar acesso a locais, inclusive naturais, termicamente mais amenos, que possibilitem pausas espontâneas, permitindo a recuperação térmica nas atividades realizadas em locais abertos e distantes de quaisquer edificações ou estruturas naturais ou artificiais.
4.2.2.1 Para os ambientes fechados ou com fontes artificiais de calor, além do subitem 4.2.2, a organização deve:
a) adaptar os locais e postos de trabalho;
b) reduzir a temperatura ou a emissividade das fontes de calor;
c) utilizar barreiras para o calor radiante;
d) adequar o sistema de ventilação do ar; e
e) adequar a temperatura e a umidade relativa do ar.
4.2.3 O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO, previsto na Norma Regulamentadora nº 07, deve prever procedimentos e avaliações médicas considerando a
necessidade de exames complementares e monitoramento fisiológico quando ultrapassados os Entra em vigor no dia 03 de janeiro de 2022 (Portaria SEPRT n.º 8.873, de 23 de julho de 2021) Este texto não substitui o publicado no DOU 11 limites de exposição previstos no Quadro 2 deste anexo e caracterizado risco de sobrecarga térmica e fisiológica dos trabalhadores expostos ao calor.
4.2.3.1 Fica caracterizado o risco de sobrecarga térmica e fisiológica com possibilidade de lesão grave a integridade física ou a saúde dos trabalhadores:
a) quando não forem adotadas as medidas previstas no item 4 deste Anexo; ou
b) quando as medidas adotadas não forem suficientes para a redução do risco.
Fonte: NR 09.

Análise de Potabilidade da Água: Consulte-nos.