Siga-nos

Mantenha-se atualizado com as notícias mais importantes

Ao clicar no botão Inscrever-se, você confirma que leu e concorda com nossos Política de Privacidade e Termos de Uso
Área do Aluno
Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar

O intuito do Treinamento para Resgate de Homem ao Mar é instruir os participantes sobre os procedimentos e responsabilidades para atividades de resgate nas situações descritas, visando otimizar a operação.
Nome Técnico: Treinamento Capacitação para Resgate de Homem ao Mar, Altura, Espaço Confinado e Ambiente Energizado

Referência: 68823

Ministramos Cursos e Treinamentos; Realizamos Traduções e Interpretações em Idioma Técnico: Português, Inglês, Espanhol, Mandarim, Alemão, Hindi, Japonês, Árabe e outros consultar

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar
O intuito do Treinamento para Resgate de Homem ao Mar é instruir os participantes sobre os procedimentos e responsabilidades para atividades de resgate nas situações descritas, visando otimizar a operação.

O que é Espaço Confinado?
Espaço confinado, de maneira geral, é qualquer área não projetada para ocupação humana contínua e que possua meios limitados de entrada e saída.

O que é Trabalho em Altura?
Todas as atividades exercidas por profissionais que exigem que o trabalhador fique em alturas superiores a dois metros onde haja o risco de queda.

Carga horária: 40 Horas Pré-Requisito: Nível Técnico

Conteudo Programatico Normativo

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar

Segurança nas atividades de resgate;
Noções de anatomia voltada ao resgate de vítimas;
Sistema respiratório e cardíaco;
Síndrome de imersão;
Processo de Hipotermia e métodos de tratamento;
Afogamento;
Graus de afogamento e tratamentos;
Divisões do afogamento;
Angústia e Pânico por Submersão;
Choque elétrico;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em altura;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em espaços confinados;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em ambientes energizados;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate ao mar;
EPI – Equipamentos de proteção individual para resgate;
Riscos decorrentes das atividades com eletricidade;
Consequências do contato elétrico com o corpo humano;
Seleção, inspeção; utilização, higienização, conservação e limitação de uso;
Cuidados e conservação dos equipamentos utilizados para altura;
Sinalização;
Planejamento do trabalho;
Riscos potenciais inerentes ao trabalho em altura e medidas de prevenção e controle de acidentes;
Acidentes típicos em trabalho em altura;
Acidentes típicos em trabalho em espaços confinados;
Acidentes típicos em trabalho em ambientes energizados;
Condutas em situação de emergência, incluindo técnicas de resgate e de primeiros socorros;
Fator de queda e força de impacto;
Danos fisiológicos causados por quedas;
Auto resgate; (maca sked e cesto para içamento);
Resgate organizado e Transferências curtas e longas entre linhas;
Simulações com montagem de direcionadores;
Descida e içagem de vítima com e sem maca;
Rapel (prática vertical linha de vida e trava quedas);
Acidentes no meio líquido;
Tipos de acidentes em meio líquido;
Equipamentos para busca e salvamentos;
Prevenção e riscos em trabalho em altura (antes, durante e depois);
Técnicas de aproximação ao acidentado;
Conhecimentos técnicos básicos;
Técnicas de embarcar acidentado com poli traumatismo;
Plano de ação em casos de acidente (homem ao mar);
Procedimentos com vítimas em afogamentos;
Equipamentos básicos de salvamento aquático;
Material de apoio ao salvamento aquático;
Prático de salvamento de homem ao mar;
Tipos de reboque;
Lanterna subaquática;

Requisitos: Treinamento de Resgate de Homem ao Mar
EPI, EPC, e estrutura  de resgate conforme preconiza as Normas da Marinha,  são por conta da Contratante;
Atestado dos Participantes de boas condições de saúde física e mental dentro da validade de 90 dias;
Acessar a partir da água, a balsa salva-vidas, utilizando colete salva-vidas;
Concentração no ponto de reunião;
Desvirar balsa inflável dentro d’água;
Nadar 15 metros sem colete salva-vidas e com colete salva-vidas;
Saltar da plataforma com colete salva-vidas altura 3 metros;
Se manter flutuando por 10 minutos.

Complementos da Atividade:
Conscientização da Importância:
APR (Análise Preliminar de Riscos);
PAE (Plano de Ação de Emergência;
PGR (Plano de Gerenciamento de Riscos);
Compreensão da necessidade da Equipe de Resgate;
A Importância do conhecimento da tarefa;
Prevenção de acidentes e noções de primeiros socorros;
Proteção contra incêndios;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver Habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e gerenciar o tempo de trabalho;
Porque equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Consequências da Habituação do Risco;
Causas de acidente de trabalho;
Noções sobre Árvore de Causas;
Noções sobre Árvore de Falhas;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de Posto de Trabalho;
Riscos Ergonômicos;
Padrão de Comunicação e Perigo (HCS (Hazard Communiccation Standard) – OSHA;

Exercícios Práticos:
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação.

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar

Referencias Normativas

Referências Normativas (Fontes) aos dispositivos aplicáveis, suas atualizações e substituições até a presente data:
NR 07 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO;
NR 09 – Avaliação e Controle das Exposições Ocupacionais a Agentes Físicos, Químicos e Biológicos;
ABNT NBR 5426 – Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;
ABNT NBR 10719 – Informação e documentação – Relatório técnico e/ou científico – Apresentação;
ABNT NBR 16746 – Segurança de máquinas – Manual de Instruções – Princípios gerais de elaboração;
NBR ISO 13850 – Segurança de Máquinas – Função de parada de emergência – Princípios para projeto;
ABNT ISO/TR 14121-2 – Segurança de máquinas – Apreciação de riscos;
ABNT NBR 14277 – Instalações e equipamentos para treinamento de combate a incêndio – Requisitos;
NBRISO/IEC27557 – Segurança da Informação, segurança cibernética e proteção da privacidade;
ABNT NBR ISO 31000 – Gestão de riscos de privacidade organizacional;
ISO 45001 – Sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacional – Requisitos com orientação para uso;
Target Normas;
Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT;
Outras Normas Técnicas Aplicáveis.
Nota: Este Serviço atende exclusivamente as exigências da MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) quando se tratar de atendimento a outros Órgãos, informe no ato da solicitação.

Carga horária e Atualização

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar

Segurança nas atividades de resgate;
Noções de anatomia voltada ao resgate de vítimas;
Sistema respiratório e cardíaco;
Síndrome de imersão;
Processo de Hipotermia e métodos de tratamento;
Afogamento;
Graus de afogamento e tratamentos;
Divisões do afogamento;
Angústia e Pânico por Submersão;
Choque elétrico;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em altura;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em espaços confinados;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em ambientes energizados;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate ao mar;
EPI – Equipamentos de proteção individual para resgate;
Riscos decorrentes das atividades com eletricidade;
Consequências do contato elétrico com o corpo humano;
Seleção, inspeção; utilização, higienização, conservação e limitação de uso;
Cuidados e conservação dos equipamentos utilizados para altura;
Sinalização;
Planejamento do trabalho;
Riscos potenciais inerentes ao trabalho em altura e medidas de prevenção e controle de acidentes;
Acidentes típicos em trabalho em altura;
Acidentes típicos em trabalho em espaços confinados;
Acidentes típicos em trabalho em ambientes energizados;
Condutas em situação de emergência, incluindo técnicas de resgate e de primeiros socorros;
Fator de queda e força de impacto;
Danos fisiológicos causados por quedas;
Auto resgate; (maca sked e cesto para içamento);
Resgate organizado e Transferências curtas e longas entre linhas;
Simulações com montagem de direcionadores;
Descida e içagem de vítima com e sem maca;
Rapel (prática vertical linha de vida e trava quedas);
Acidentes no meio líquido;
Tipos de acidentes em meio líquido;
Equipamentos para busca e salvamentos;
Prevenção e riscos em trabalho em altura (antes, durante e depois);
Técnicas de aproximação ao acidentado;
Conhecimentos técnicos básicos;
Técnicas de embarcar acidentado com poli traumatismo;
Plano de ação em casos de acidente (homem ao mar);
Procedimentos com vítimas em afogamentos;
Equipamentos básicos de salvamento aquático;
Material de apoio ao salvamento aquático;
Prático de salvamento de homem ao mar;
Tipos de reboque;
Lanterna subaquática;

Requisitos: Treinamento de Resgate de Homem ao Mar
EPI, EPC, e estrutura  de resgate conforme preconiza as Normas da Marinha,  são por conta da Contratante;
Atestado dos Participantes de boas condições de saúde física e mental dentro da validade de 90 dias;
Acessar a partir da água, a balsa salva-vidas, utilizando colete salva-vidas;
Concentração no ponto de reunião;
Desvirar balsa inflável dentro d’água;
Nadar 15 metros sem colete salva-vidas e com colete salva-vidas;
Saltar da plataforma com colete salva-vidas altura 3 metros;
Se manter flutuando por 10 minutos.

Complementos da Atividade:
Conscientização da Importância:
APR (Análise Preliminar de Riscos);
PAE (Plano de Ação de Emergência;
PGR (Plano de Gerenciamento de Riscos);
Compreensão da necessidade da Equipe de Resgate;
A Importância do conhecimento da tarefa;
Prevenção de acidentes e noções de primeiros socorros;
Proteção contra incêndios;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver Habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e gerenciar o tempo de trabalho;
Porque equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Consequências da Habituação do Risco;
Causas de acidente de trabalho;
Noções sobre Árvore de Causas;
Noções sobre Árvore de Falhas;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de Posto de Trabalho;
Riscos Ergonômicos;
Padrão de Comunicação e Perigo (HCS (Hazard Communiccation Standard) – OSHA;

Exercícios Práticos:
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação.

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar

Complementos

Cabe a Contratante fornecer quando for o caso:
Fornecer os meios, Projetos arquitetônicos em Arquivo DWG ou PDF;
Projeto Arquitetônico da Empresa que efetuará ou efetuou a instalação e contato com os mesmos.
Lista de todos os equipamentos elétricos e eletrônicos contidos nas áreas com marca, potência modelo, tipo e temperatura;
Se tiver inflamáveis e/ou combustíveis armazenados com mais 200 litros no total torna-se obrigatório fazer o Prontuário da NR-20.
Demais documentos e procedimentos necessários previstos antes ou depois da  Inspeção técnica.

NÃO estão inclusos no Escopo do Serviço:
1. Elaboração de Projeto de Arquitetônico;*
2. Elaboração de Projeto de Instalação;*
3. Elaboração do Memorial de Cálculo*
4. Elaboração de Memorial de Cálculo de Suporte;*
5. Elaboração de Manual de Instrução Técnica Operacional e de Manutenção;*
* (Consultar valor)

O que são Células de Carga?
As células de carga são medidores de deformação ou flexão de um corpo, transformando grandeza física, ou seja, uma força, em um sinal elétrico. Utilizadas na análise experimental de esforços e na medição elétrica da resistência à tensão, essas células são empregadas na maioria das aplicações industriais.

Cabe a Contratante fornecer :
Procedimentos da Inspeção quando for o caso e se envolver Estruturas:
Importante: Serão realizados Teste de Solda e Sistema de Líquido Penetrante no equipamento e nas peças que contenham pontos de solda;
01- Os pontos que contém solda no decorrer da peça (Inclusive quando tiver braço articulado e apoio de cesto acoplado) deverão estar devidamente decapados, sem nenhum tipo de resíduos tais como tintas, vernizes, colas ou qualquer tipo de sujidades ou resíduos de óleo, graxa etc;
02- Passar STRIPTIZI GEL em todas as bases do Equipamento e peças de apoio, limpar bem e passar pano (não deixar nenhuma sujidade);
03- Se tiver Lanças automáticas ou lança manual, lixar solda da frente;
04- Se Contratado Execução de TESTE DE CARGA cabe a Contratante disponibilizar CÉLULAS DE CARGA ou compartimento para teste de carga (tipo big bag, cintas novas calibradas INMETRO, balança, tarugos de metal calibrado ou sacos de areia pesados equivalente até 125% que o equipamento suporta e fornecer Declaração de Responsabilidade  referente a Capacidade do Equipamento.
Se Contratado ENSAIOS ELÉTRICOS em Cesto acoplado de preferência com Placa de Identificação, o mesmo  deverá estar no nível do solo juntamente com Laudo de Fabricação de aparelhos que tiver para sabermos quantos Volts suporta.

Documentos necessários para Equipamentos de Içamento
a) Arts do Pórtico com os últimos 3 laudos, incluindo a ART com Memorial de Cálculo do Projeto Inicial do Pórtico;
b) Memoriais de Cálculo de Dimensionamento da Talha atual X pórtico com ART;
c) Memoriais de cálculo de carga do moitão da talha e dos cabos de aço com ART;
d) ART da Montagem da Talha com Memorial de Cálculo Estrutural;
e) Todas as soldas constantes no pórtico deverão estar sem tintas ou resíduos e também não deverão estar lixadas, bem como o moitão e o gancho da talha;
f) O setor deve ficar interditado até segunda ordem para os testes;
g) Deverá ter uma carga disponível com uma balança calibrada e com Laudo da capacidade e uma carga com 175%.
h) O Eng de segurança do trabalho em conjunto com o SESMT deverão emitir uma declaração de responsabilidade quanto ao teste de carga em caso de rompimento ou acidente com um de nossos colaboradores;
i) Todos os Sistemas Elétricos deverão estar desativados com sistema Power Lockout;
Serão utilizados os sistemas de líquido penetrante e líquido revelador nas soldas o que poderá intoxicar quaisquer alimentos presentes.
j) O Teste de Carga será realizado conforme norma da ABNT desde que autorizado e declarado pelos responsáveis a inteira responsabilidade por quaisquer questões que ocorram com nossos colaboradores durante o teste. Sendo este executado em 1 hora com carga a 100% da carga talha e mais uma hora com 125% da carga talha.
l) Observe-se que, se não houverem as documentações solicitadas, que a empresa declare que não há via e-mail.

Plano de Inspeção e Manutenção do Equipamento é obrigatório conforme previsto na NR 12.

A justificativa da relação Preço e Valor:
A precificação de qualquer serviço exige expertise relacionada ao mundo dos negócios e o conceito de Valor é qualitativo, diretamente ligado ao potencial de transformação existente naquele conteúdo. O serviço tem mais valor quando tem conhecimento e segredos profissionais agregados e o preço é uma variável consequente do valor, cujo objetivo é transmiti-lo em números. Assim, quanto maior for o valor agregado ao conteúdo, maior será o seu preço justo. Portanto, não autorizamos a utilização de nossas Propostas como contraprova de fechamento com terceiros de menor preço, ou de interesse secundário, Qualidade, Segurança, Eficiência e Excelência, em todos os sentidos, são os nossos valores.

Saiba Mais

Saiba Mais: Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar:

HOMEM AO MAR ! — Grito a bordo para dar o alarme quando alguém cai ao mar.
Indica-se sempre se é bombordo ou estibordo, por exemplo: “Homem ao mar por estibordo!”.
Sempre que possível, quem dá o alarme, por voz ou por meio elétrico, deve lançar a boia ao mar e não perder de vista o náufrago.
Em caso de má visibilidade a boia deve ter facho auto-inflamável, o navio deve apontar projetores luminosos na direção do náufrago e manobrar de modo a aproximar-se da sua posição.
Caso possua, deve preparar uma pequena embarcação e um mergulhador para o resgate do náufrago.
Nos navios mais pequenos, o resgate do náufrago é efetuado pelo próprio navio.
O náufrago também pode ser resgatado só por mergulhador ou por manobra de helicóptero.
A escolha do método de aproximação e resgate do náufrago depende das condições meteorológicas. Em geral, o navio manobra de modo a aproximar-se da posição em que se encontra o náufrago, arriando então a embarcação.
Resgate em Altura é para Resgatista, Alpinismo é para Alpinista
A NR 35 TRABALHO EM ALTURA é clara: “É obrigação dos empregadores elaborar e disponibilizar um plano de resgate, fornecer os materiais, equipamentos e acessórios para a Equipe de Resgate (ideal mínimo 03 resgatista), podendo ser própria, externa ou composta pelos próprios colaboradores capacitados em NR 35 QUE DEVERÃO FAZER TREINAMENTO ESPECÍFICO para estar legalmente habilitados;”
Os cursos Acesso por Cordas N1, N2 e N3 com suas respectivas cargas horárias não habilita LEGAL PROFICIÊNCIA aos formados (as) a atender Primeiros Socorros e nem habilita a fazer resgates em geral; onde os participantes só fazem resgate em situações que não são semelhantes a maioria dos riscos que os trabalhadores comuns estão expostos.
Resgate é pra Resgatista, alpinismo é para alpinista, para ser Resgatista o interessado tem que ter no mínimo 80 (oitenta) horas de Curso A.P.H (Atendimento Pré Hospitalar), o que coloca em xeque mate a qualidade dos cursos e treinamentos abaixo desse patamar.
Resgatista é um profissional que é exigido por Normas do M.T.E. como NR 10, NR 23, NR 33, NR 35 e NR 34 entre outras, não sendo permitido liberar a PET ou realizar nenhum trabalho em espaços confinados e/ou altura sem a presença da Equipe de Resgate.
Portanto não podemos confundir Equipe de Resgate com Equipe de Alpinismo, Resgatista com Alpinista.
Curso Resgate em Altura
Caso ocorra um acidente com um trabalhador envolvido em atividades de altura, deve sempre ser planejado um plano de resgate para que se possa agir de forma rápida.
Além dos ricos do profissional sofrer queda no vazio ou ficar suspenso em uma linha de vida, há também o risco de queda pela tontura ou pressão, podendo ocorrer em alturas de 10 metros ou mais.
O maior problema consiste na descida do profissional da altura, já que há casos que ele mesmo não consegue sozinho descer. Sendo assim, ao realizar um plano de resgate deve-ser verificar a segurança com detalhes, como por exemplo em trabalhos em plataformas elevatórias que podem aceder a todos os locais que um técnico pode trabalhar, como pontes-rolantes, postes, coberturas, dentre outros. Porém, nem sempre é possível acender todos os locais desejados com este tipo de equipamento de elevação, ainda que outros fatores podem dificultar ainda mais, como obstáculos, a distância de posicionamento dos locais, tipos de máquinas, dentre outros fatores.

Fonte: Alpha Segurança

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar: Consulte-nos.

Conteúdo Programático

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar

Segurança nas atividades de resgate;
Noções de anatomia voltada ao resgate de vítimas;
Sistema respiratório e cardíaco;
Síndrome de imersão;
Processo de Hipotermia e métodos de tratamento;
Afogamento;
Graus de afogamento e tratamentos;
Divisões do afogamento;
Angústia e Pânico por Submersão;
Choque elétrico;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em altura;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em espaços confinados;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate em ambientes energizados;
Normas e regulamentos aplicáveis a trabalhos de resgate ao mar;
EPI – Equipamentos de proteção individual para resgate;
Riscos decorrentes das atividades com eletricidade;
Consequências do contato elétrico com o corpo humano;
Seleção, inspeção; utilização, higienização, conservação e limitação de uso;
Cuidados e conservação dos equipamentos utilizados para altura;
Sinalização;
Planejamento do trabalho;
Riscos potenciais inerentes ao trabalho em altura e medidas de prevenção e controle de acidentes;
Acidentes típicos em trabalho em altura;
Acidentes típicos em trabalho em espaços confinados;
Acidentes típicos em trabalho em ambientes energizados;
Condutas em situação de emergência, incluindo técnicas de resgate e de primeiros socorros;
Fator de queda e força de impacto;
Danos fisiológicos causados por quedas;
Auto resgate; (maca sked e cesto para içamento);
Resgate organizado e Transferências curtas e longas entre linhas;
Simulações com montagem de direcionadores;
Descida e içagem de vítima com e sem maca;
Rapel (prática vertical linha de vida e trava quedas);
Acidentes no meio líquido;
Tipos de acidentes em meio líquido;
Equipamentos para busca e salvamentos;
Prevenção e riscos em trabalho em altura (antes, durante e depois);
Técnicas de aproximação ao acidentado;
Conhecimentos técnicos básicos;
Técnicas de embarcar acidentado com poli traumatismo;
Plano de ação em casos de acidente (homem ao mar);
Procedimentos com vítimas em afogamentos;
Equipamentos básicos de salvamento aquático;
Material de apoio ao salvamento aquático;
Prático de salvamento de homem ao mar;
Tipos de reboque;
Lanterna subaquática;

Requisitos: Treinamento de Resgate de Homem ao Mar
EPI, EPC, e estrutura  de resgate conforme preconiza as Normas da Marinha,  são por conta da Contratante;
Atestado dos Participantes de boas condições de saúde física e mental dentro da validade de 90 dias;
Acessar a partir da água, a balsa salva-vidas, utilizando colete salva-vidas;
Concentração no ponto de reunião;
Desvirar balsa inflável dentro d’água;
Nadar 15 metros sem colete salva-vidas e com colete salva-vidas;
Saltar da plataforma com colete salva-vidas altura 3 metros;
Se manter flutuando por 10 minutos.

Complementos da Atividade:
Conscientização da Importância:
APR (Análise Preliminar de Riscos);
PAE (Plano de Ação de Emergência;
PGR (Plano de Gerenciamento de Riscos);
Compreensão da necessidade da Equipe de Resgate;
A Importância do conhecimento da tarefa;
Prevenção de acidentes e noções de primeiros socorros;
Proteção contra incêndios;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver Habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e gerenciar o tempo de trabalho;
Porque equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Consequências da Habituação do Risco;
Causas de acidente de trabalho;
Noções sobre Árvore de Causas;
Noções sobre Árvore de Falhas;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de Posto de Trabalho;
Riscos Ergonômicos;
Padrão de Comunicação e Perigo (HCS (Hazard Communiccation Standard) – OSHA;

Exercícios Práticos:
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação.

Treinamento Para Resgate de Homem ao Mar