Siga-nos

Mantenha-se atualizado com as notícias mais importantes

Ao clicar no botão Inscrever-se, você confirma que leu e concorda com nossos Política de Privacidade e Termos de Uso
Área do Aluno
Curso de Investigação de Acidentes Curso de Investigação de Acidentes
F: FREEPIK AUT

Curso de Investigação de Acidentes

O Curso de Investigação de acidentes tem como objetivo aprimorar as informações e vestígios coletados em locais de acidentes. Técnicas de entrevistas com os envolvidos e testemunhas, equipamentos, ferramentas e softwares usados na perícia de acidentes.
Nome Técnico: Curso de Aprimoramento Como Executar Investigação de Acidentes

Referência: 14600

Ministramos Cursos e Treinamentos; Realizamos Traduções e Versões em Idioma Técnico: Português, Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Mandarim, Alemão, Russo, Sueco, Holandês, Hindi, Japonês e outros consultar

Curso Investigação de Acidentes
O Curso de Investigação de acidentes tem como objetivo aprimorar as informações e vestígios coletados em locais de acidentes. Técnicas de entrevistas com os envolvidos e testemunhas, equipamentos, ferramentas e softwares usados na perícia de acidentes.

Por que analisar e racionar eventuais riscos no local de Trabalho?
Pois locais de trabalho existem riscos, porém á medidas de controle que devem ser adotadas para eliminá-los ou reduzi-los a fim de prevenir acidentes e doenças. A ocorrência de um evento adverso indica que as medidas de controle de risco eram inadequadas ou insuficientes.

Diferentes motivos proporciona a realizar um investigação de acidentes:
Revela as maneiras nas quais as pessoas estão expostas a riscos que podem afetar sua segurança e saúde individual e ambiental; Identifica as deficiências no controle de riscos no trabalho de forma a possibilitar alterações e melhorias da gestão de SST; e Permite a troca de informações sobre os riscos entre empresas, fabricantes e fornecedores.

Quais são as principais técnicas utilizadas na investigação de acidentes?

A investigação de acidentes envolve a análise detalhada das causas e circunstâncias de um acidente, com o objetivo de identificar as falhas e implementar medidas preventivas para evitar que ocorram novamente. Existem várias técnicas utilizadas nesse processo, sendo as principais:
Árvore de Causas: Essa técnica consiste em mapear todas as causas e subcausas de um acidente, organizando-as em uma estrutura hierárquica semelhante a uma árvore. Isso ajuda a identificar as causas raiz e as relações entre elas.
Análise de Falhas e Modos de Falha: Nessa técnica, são identificados os possíveis modos de falha que podem ter contribuído para o acidente. A partir disso, é feita uma análise detalhada das falhas ocorridas, buscando entender como elas ocorreram e quais foram suas consequências.
Análise de Cenários: Essa técnica envolve a criação de diferentes cenários hipotéticos para entender como o acidente poderia ter ocorrido. Isso ajuda a identificar as possíveis sequências de eventos que levaram ao acidente e a avaliar a eficácia das medidas preventivas existentes.
Entrevistas e Observações: É comum realizar entrevistas com as pessoas envolvidas no acidente, bem como observar o local do acidente e coletar evidências físicas. Essa técnica ajuda a obter informações importantes sobre o incidente e a entender melhor o contexto em que ele ocorreu.
Análise de Documentos: A investigação também envolve a análise de documentos relevantes, como relatórios de manutenção, registros de treinamento e procedimentos operacionais. Isso pode fornecer informações valiosas sobre possíveis falhas de processo ou negligências.
É importante destacar que a investigação de acidentes deve ser realizada por profissionais capacitados, seguindo diretrizes e normas específicas. O objetivo final é aprender com os acidentes ocorridos e implementar medidas de prevenção para evitar que eles se repitam.

Quem pode participar do curso de investigação de acidentes?

O curso de investigação de acidentes pode ser direcionado a profissionais de diversas áreas, como engenheiros, técnicos em segurança do trabalho, médicos do trabalho, enfermeiros, entre outros que estejam envolvidos na prevenção de acidentes e na promoção da saúde e segurança no trabalho. Além disso, também é indicado para profissionais que atuam em áreas de gestão de riscos e seguros.

Clique no Link: Critérios para Emissão de Certificados conforme as Normas

Carga horária: 40 Horas Pré-Requesito: Alfabetização

Conteudo Programatico Normativo

Curso Investigação de Acidentes

Escopo Normativo:
Inspeções e verificações quando pertinentes a ser avaliadas na Inspeção pela nossa Equipe multidisciplinar:
Conceitos básicos de investigação de incidentes;
Requisitos gerais e específicos;
Métodos de formulários e levantamento de evidências;
Características de entorno e consolidação das informações existentes;
Plano de investigação detalhada;
Definição de substancias químicas de interesse;
Coleta de vestígios no local do acidente;
Como deve ser a reação inicial a um acidente;
Identificação das evidências de partes;
Compreendendo a linguagem da análise;
Vantagens de boa análise;
Sistema de análise de eventos adversos;
Fatores ou condições relacionados com a ocorrência de eventos adversos;
Análise qualificada e  adequada;
Técnicas de elaboração de croquis;
Técnicas de fotografia pericial;
Análise das causas, identificação das causas básicas;
Caracterização de outros meios;
Elaboração do relatório de investigação;
Redução de riscos e proteção de trabalhadores;
Linguagem de análise e razões para se analisar eventos adversos;
Benefícios resultantes de um sistema de análise;
Fatore ou condições relacionados com a ocorrência de eventos;
Eventos a serem analisados e análise;
Coleta de dados e análise de informações;
Identificação das medidas de controle;
Plano de ação e normas de segurança e saúde no trabalho;
Concepções e os projetos de máquinas, equipamentos e produtos;
Sistemas de gestão de empresas e desenvolvimento tecnológico;
Condições de trabalho e confiabilidade dos sistemas;
Evento adverso, acidente de trabalho, incidente e circunstância indesejada;
Trabalhador, indivíduo do público, perigo e risco;
Consequências dos eventos adversos, fatal, grave, moderado, leve e prejuízos;
Probabilidade  de um evento ocorrer novamente;
Encontrar a causa do acidente e prevenir acidentes similares no futuro;
Cumprimento de determinação legal e determinação do custo de acidente;
Determinar o nível de conformidade legal da empresa com as normas de segurança vigentes;
Auxiliar em futuras reclamações e processos trabalhistas;
Comunicação do acidente de trabalho com um responsável;
Realização do primeiro atendimento e dos cuidados iniciais ao trabalhador acidentado;
Atuação voltada a prevenir danos adicionais e investigação de acidentes;
Identificação das causas e reportagem dos fatores indicados;
Desenvolvimento do plano de ação corretivo e implementação do plano;
Avaliação da efetividade corretiva e realização de mudanças para a melhoria contínua dos níveis de segurança e saúde dos trabalhadores;

Complementos da Atividade:
Conscientização da Importância:
APR (Análise Preliminar de Riscos);
PE (Plano de Emergência);
PGR (Plano de Gerenciamento de Riscos);
GRO (Gerenciamento de Riscos Ocupacionais);
Noções Básicas de:
HAZCOM – Hazard Communication Standard (Padrão de Comunicação de Perigo);
HAZMAT – Hazardous Materials (Materiais Perigosos);
HAZWOPER – Hazardous Waste Operations and Emergency Response (Operações de Resíduos Perigosos e Resposta a Emergências);
Compreensão da necessidade da Equipe de Resgate;
Importância do conhecimento da tarefa;
Prevenção de acidentes e noções de primeiros socorros;
Proteção contra incêndios;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver Habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e gerenciar o tempo de trabalho;
Porque equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Consequências da Habituação do Risco;
Causas de acidente de trabalho;
Noções básicas de:
Análise de modos e efeitos de falha (FMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de serviços (SFMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de Processos (PFMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de Design (DFMEA);
Análise de modos, efeitos e criticidade de falha (FMECA);
Ferramenta Bow Tie;
Ferramenta de Análise de Acidentes – Método TRIPOD;
Noções sobre Árvore de Causas;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de Posto de Trabalho;
Riscos Ergonômicos;
Padrão de Comunicação e Perigo (HCS (Hazard Communiccation Standard) – OSHA;

Exercícios Práticos:
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação.

NOTA:
É facultado à nossa Equipe Multidisciplinar Atualizar, adequar, alterar e/ou excluir itens, conforme inspeção e sempre que for necessário, bem como efetuar a exclusão ou inserção de Normas, Leis, Decretos ou parâmetros técnicos que julgarem aplicáveis, estando relacionados ou não no Escopo Normativo ficando a Contratante responsável por efetuar os devidos atendimentos no que dispõem as Legislações pertinentes.

Curso Investigação de Acidentes

Referencias Normativas

Referências Normativas (Fontes) aos dispositivos aplicáveis, suas atualizações e substituições até a presente data:
NR 07 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO;
NR 09 – Avaliação e Controle das Exposições Ocupacionais a Agentes Físicos, Químicos e Biológicos;
ABNT NBR 5426 – Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;
ABNT NBR 10719 – Informação e documentação – Relatório técnico e/ou científico – Apresentação;
ABNT NBR 16746 – Segurança de máquinas – Manual de Instruções – Princípios gerais de elaboração;
NBR ISO 13850 – Segurança de Máquinas – Função de parada de emergência – Princípios para projeto;
ABNT ISO/TR 14121-2 – Segurança de máquinas – Apreciação de riscos;
ABNT NBR 14277 – Instalações e equipamentos para treinamento de combate a incêndio – Requisitos;
NBRISO/IEC27557 – Segurança da Informação, segurança cibernética e proteção da privacidade;
ABNT NBR ISO 31000 – Gestão de riscos de privacidade organizacional;
ISO 45001 – Sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacional – Requisitos com orientação para uso;
Target Normas;
Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT;
Outras Normas Técnicas Aplicáveis.
Nota: Este Serviço atende exclusivamente as exigências da MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) quando se tratar de atendimento a outros Órgãos, informe no ato da solicitação.

Carga horária e Atualização

Curso Investigação de Acidentes

Escopo Normativo:
Inspeções e verificações quando pertinentes a ser avaliadas na Inspeção pela nossa Equipe multidisciplinar:
Conceitos básicos de investigação de incidentes;
Requisitos gerais e específicos;
Métodos de formulários e levantamento de evidências;
Características de entorno e consolidação das informações existentes;
Plano de investigação detalhada;
Definição de substancias químicas de interesse;
Coleta de vestígios no local do acidente;
Como deve ser a reação inicial a um acidente;
Identificação das evidências de partes;
Compreendendo a linguagem da análise;
Vantagens de boa análise;
Sistema de análise de eventos adversos;
Fatores ou condições relacionados com a ocorrência de eventos adversos;
Análise qualificada e  adequada;
Técnicas de elaboração de croquis;
Técnicas de fotografia pericial;
Análise das causas, identificação das causas básicas;
Caracterização de outros meios;
Elaboração do relatório de investigação;
Redução de riscos e proteção de trabalhadores;
Linguagem de análise e razões para se analisar eventos adversos;
Benefícios resultantes de um sistema de análise;
Fatore ou condições relacionados com a ocorrência de eventos;
Eventos a serem analisados e análise;
Coleta de dados e análise de informações;
Identificação das medidas de controle;
Plano de ação e normas de segurança e saúde no trabalho;
Concepções e os projetos de máquinas, equipamentos e produtos;
Sistemas de gestão de empresas e desenvolvimento tecnológico;
Condições de trabalho e confiabilidade dos sistemas;
Evento adverso, acidente de trabalho, incidente e circunstância indesejada;
Trabalhador, indivíduo do público, perigo e risco;
Consequências dos eventos adversos, fatal, grave, moderado, leve e prejuízos;
Probabilidade  de um evento ocorrer novamente;
Encontrar a causa do acidente e prevenir acidentes similares no futuro;
Cumprimento de determinação legal e determinação do custo de acidente;
Determinar o nível de conformidade legal da empresa com as normas de segurança vigentes;
Auxiliar em futuras reclamações e processos trabalhistas;
Comunicação do acidente de trabalho com um responsável;
Realização do primeiro atendimento e dos cuidados iniciais ao trabalhador acidentado;
Atuação voltada a prevenir danos adicionais e investigação de acidentes;
Identificação das causas e reportagem dos fatores indicados;
Desenvolvimento do plano de ação corretivo e implementação do plano;
Avaliação da efetividade corretiva e realização de mudanças para a melhoria contínua dos níveis de segurança e saúde dos trabalhadores;

Complementos da Atividade:
Conscientização da Importância:
APR (Análise Preliminar de Riscos);
PE (Plano de Emergência);
PGR (Plano de Gerenciamento de Riscos);
GRO (Gerenciamento de Riscos Ocupacionais);
Noções Básicas de:
HAZCOM – Hazard Communication Standard (Padrão de Comunicação de Perigo);
HAZMAT – Hazardous Materials (Materiais Perigosos);
HAZWOPER – Hazardous Waste Operations and Emergency Response (Operações de Resíduos Perigosos e Resposta a Emergências);
Compreensão da necessidade da Equipe de Resgate;
Importância do conhecimento da tarefa;
Prevenção de acidentes e noções de primeiros socorros;
Proteção contra incêndios;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver Habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e gerenciar o tempo de trabalho;
Porque equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Consequências da Habituação do Risco;
Causas de acidente de trabalho;
Noções básicas de:
Análise de modos e efeitos de falha (FMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de serviços (SFMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de Processos (PFMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de Design (DFMEA);
Análise de modos, efeitos e criticidade de falha (FMECA);
Ferramenta Bow Tie;
Ferramenta de Análise de Acidentes – Método TRIPOD;
Noções sobre Árvore de Causas;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de Posto de Trabalho;
Riscos Ergonômicos;
Padrão de Comunicação e Perigo (HCS (Hazard Communiccation Standard) – OSHA;

Exercícios Práticos:
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação.

NOTA:
É facultado à nossa Equipe Multidisciplinar Atualizar, adequar, alterar e/ou excluir itens, conforme inspeção e sempre que for necessário, bem como efetuar a exclusão ou inserção de Normas, Leis, Decretos ou parâmetros técnicos que julgarem aplicáveis, estando relacionados ou não no Escopo Normativo ficando a Contratante responsável por efetuar os devidos atendimentos no que dispõem as Legislações pertinentes.

Curso Investigação de Acidentes

Complementos

Cabe a Contratante fornecer quando for o caso:
Fornecer os meios, Projetos arquitetônicos em Arquivo DWG ou PDF;
Projeto Arquitetônico da Empresa que efetuará ou efetuou a instalação e contato com os mesmos.
Lista de todos os equipamentos elétricos e eletrônicos contidos nas áreas com marca, potência modelo, tipo e temperatura;
Se tiver inflamáveis e/ou combustíveis armazenados com mais 200 litros no total torna-se obrigatório fazer o Prontuário da NR-20.
Demais documentos e procedimentos necessários previstos antes ou depois da  Inspeção técnica.

NÃO estão inclusos no Escopo do Serviço:
1. Elaboração de Projeto de Arquitetônico;*
2. Elaboração de Projeto de Instalação;*
3. Elaboração do Memorial de Cálculo*
4. Elaboração de Memorial de Cálculo de Suporte;*
5. Elaboração de Manual de Instrução Técnica Operacional e de Manutenção;*
* (Consultar valor)

O que são Células de Carga?
As células de carga são medidores de deformação ou flexão de um corpo, transformando grandeza física, ou seja, uma força, em um sinal elétrico. Utilizadas na análise experimental de esforços e na medição elétrica da resistência à tensão, essas células são empregadas na maioria das aplicações industriais.

Cabe a Contratante fornecer :
Procedimentos da Inspeção quando for o caso e se envolver Estruturas:
Importante: Serão realizados Teste de Solda e Sistema de Líquido Penetrante no equipamento e nas peças que contenham pontos de solda;
01- Os pontos que contém solda no decorrer da peça (Inclusive quando tiver braço articulado e apoio de cesto acoplado) deverão estar devidamente decapados, sem nenhum tipo de resíduos tais como tintas, vernizes, colas ou qualquer tipo de sujidades ou resíduos de óleo, graxa etc;
02- Passar STRIPTIZI GEL em todas as bases do Equipamento e peças de apoio, limpar bem e passar pano (não deixar nenhuma sujidade);
03- Se tiver Lanças automáticas ou lança manual, lixar solda da frente;
04- Se Contratado Execução de TESTE DE CARGA cabe a Contratante disponibilizar CÉLULAS DE CARGA ou compartimento para teste de carga (tipo big bag, cintas novas calibradas INMETRO, balança, tarugos de metal calibrado ou sacos de areia pesados equivalente até 125% que o equipamento suporta e fornecer Declaração de Responsabilidade  referente a Capacidade do Equipamento.
Se Contratado ENSAIOS ELÉTRICOS em Cesto acoplado de preferência com Placa de Identificação, o mesmo  deverá estar no nível do solo juntamente com Laudo de Fabricação de aparelhos que tiver para sabermos quantos Volts suporta.

Documentos necessários para Equipamentos de Içamento
a) Arts do Pórtico com os últimos 3 laudos, incluindo a ART com Memorial de Cálculo do Projeto Inicial do Pórtico;
b) Memoriais de Cálculo de Dimensionamento da Talha atual X pórtico com ART;
c) Memoriais de cálculo de carga do moitão da talha e dos cabos de aço com ART;
d) ART da Montagem da Talha com Memorial de Cálculo Estrutural;
e) Todas as soldas constantes no pórtico deverão estar sem tintas ou resíduos e também não deverão estar lixadas, bem como o moitão e o gancho da talha;
f) O setor deve ficar interditado até segunda ordem para os testes;
g) Deverá ter uma carga disponível com uma balança calibrada e com Laudo da capacidade e uma carga com 175%.
h) O Eng de segurança do trabalho em conjunto com o SESMT deverão emitir uma declaração de responsabilidade quanto ao teste de carga em caso de rompimento ou acidente com um de nossos colaboradores;
i) Todos os Sistemas Elétricos deverão estar desativados com sistema Power Lockout;
Serão utilizados os sistemas de líquido penetrante e líquido revelador nas soldas o que poderá intoxicar quaisquer alimentos presentes.
j) O Teste de Carga será realizado conforme norma da ABNT desde que autorizado e declarado pelos responsáveis a inteira responsabilidade por quaisquer questões que ocorram com nossos colaboradores durante o teste. Sendo este executado em 1 hora com carga a 100% da carga talha e mais uma hora com 125% da carga talha.
l) Observe-se que, se não houverem as documentações solicitadas, que a empresa declare que não há via e-mail.

Plano de Inspeção e Manutenção do Equipamento é obrigatório conforme previsto na NR 12.

A justificativa da relação Preço e Valor:
A precificação de qualquer serviço exige expertise relacionada ao mundo dos negócios e o conceito de Valor é qualitativo, diretamente ligado ao potencial de transformação existente naquele conteúdo. O serviço tem mais valor quando tem conhecimento e segredos profissionais agregados e o preço é uma variável consequente do valor, cujo objetivo é transmiti-lo em números. Assim, quanto maior for o valor agregado ao conteúdo, maior será o seu preço justo. Portanto, não autorizamos a utilização de nossas Propostas como contraprova de fechamento com terceiros de menor preço, ou de interesse secundário, Qualidade, Segurança, Eficiência e Excelência, em todos os sentidos, são os nossos valores.

Saiba Mais

Saiba Mais: Curso Investigação de Acidentes

NR -5 – Comissão Interna de Prevenção a Acidentes – CIPA:
DO OBJETIVO
5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA – tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.
DA CONSTITUIÇÃO
5.2 Devem constituir CIPA, por estabelecimento, e mantê-la em regular funcionamento as empresas privadas, públicas, sociedades de economia mista, órgãos da administração direta e indireta, instituições beneficentes, associações recreativas, cooperativas, bem como outras instituições que admitam trabalhadores como empregados.
5.3 As disposições contidas nesta NR aplicam-se, no que couber, aos trabalhadores avulsos e às entidades que lhes tomem serviços, observadas as disposições estabelecidas em Normas Regulamentadoras de setores econômicos específicos.
5.4 (Revogado pela Portaria SIT n.º 247, de 12 de julho de 2011)
5.5 As empresas instaladas em centro comercial ou industrial estabelecerão, através de membros de CIPA ou designados, mecanismos de integração com objetivo de promover o desenvolvimento de ações de prevenção de acidentes e doenças decorrentes do ambiente e instalações de uso coletivo, podendo contar com a participação da administração do mesmo.
DA ORGANIZAÇÃO
5.6 A CIPA será composta de representantes do empregador e dos empregados, de acordo com o dimensionamento previsto no Quadro I desta NR, ressalvadas as alterações disciplinadas em atos normativos para setores econômicos específicos.
5.6.1 Os representantes dos empregadores, titulares e suplentes, serão por eles designados.
5.6.2 Os representantes dos empregados, titulares e suplentes, serão eleitos em escrutínio secreto, do qual participem, independentemente de filiação sindical, exclusivamente os empregados interessados.
5.6.3 O número de membros titulares e suplentes da CIPA, considerando a ordem decrescente de votos recebidos, observará o dimensionamento previsto no Quadro I desta NR, ressalvadas as alterações disciplinadas em atos normativos de setores econômicos específicos.
5.6.4 Quando o estabelecimento não se enquadrar no Quadro I, a empresa designará um responsável pelo cumprimento dos objetivos desta NR, podendo ser adotados mecanismos de participação dos empregados, através de negociação coletiva.
5.7 O mandato dos membros eleitos da CIPA terá a duração de um ano, permitida uma reeleição.
5.8 É vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa do empregado eleito para cargo de direção de Comissões Internas de Prevenção de Acidentes desde o registro de sua candidatura até um ano após o final de seu mandato.
5.9 Serão garantidas aos membros da CIPA condições que não descaracterizem suas atividades normais na empresa, sendo vedada a transferência para outro estabelecimento sem a sua anuência, ressalvado o disposto nos parágrafos primeiro e segundo do artigo 469, da CLT.
5.10 O empregador deverá garantir que seus indicados tenham a representação necessária para a discussão e encaminhamento das soluções de questões de segurança e saúde no trabalho analisadas na CIPA.
5.11 O empregador designará entre seus representantes o Presidente da CIPA, e os representantes dos empregados escolherão entre os titulares o vice-presidente.
5.12 Os membros da CIPA, eleitos e designados serão, empossados no primeiro dia útil após o término do mandato anterior.
5.13 Será indicado, de comum acordo com os membros da CIPA, um secretário e seu substituto, entre os componentes ou não da comissão, sendo neste caso necessária a concordância do empregador.
5.14 A documentação referente ao processo eleitoral da CIPA, incluindo as atas de eleição e de posse e o calendário anual das reuniões ordinárias, deve ficar no estabelecimento à disposição da fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego. (Alterado pela Portaria SIT n.º 247, de 12 de julho de 2011)
5.14.1 A documentação indicada no item 5.14 deve ser encaminhada ao Sindicato dos Trabalhadores da categoria, quando solicitada. (Inserido pela Portaria SIT n.º 247, de 12 de julho de 2011)
5.14.2 O empregador deve fornecer cópias das atas de eleição e posse aos membros titulares e suplentes da CIPA, mediante recibo. (Inserido pela Portaria SIT n.º 247, de 12 de julho de 2011)
5.15 A CIPA não poderá ter seu número de representantes reduzido, bem como não poderá ser desativada pelo empregador, antes do término do mandato de seus membros, ainda que haja redução do número de empregados da empresa, exceto no caso de encerramento das atividades do estabelecimento. (Alterado pela Portaria SIT n.º 247, de 12 de julho de 2011)
DAS ATRIBUIÇÕES
5.16 A CIPA terá por atribuição:
a) identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria do SESMT, onde houver;
b) elaborar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva na solução de problemas de segurança e saúde no trabalho;
c) participar da implementação e do controle da qualidade das medidas de prevenção necessárias, bem como da avaliação das prioridades de ação nos locais de trabalho;
d) realizar, periodicamente, verificações nos ambientes e condições de trabalho visando a identificação de
situações que venham a trazer riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores;
e) realizar, a cada reunião, avaliação do cumprimento das metas fixadas em seu plano de trabalho e discutir as situações de risco que foram identificadas;
f) divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho;
g) participar, com o SESMT, onde houver, das discussões promovidas pelo empregador, para avaliar os impactos de alterações no ambiente e processo de trabalho relacionados à segurança e saúde dos trabalhadores;
h) requerer ao SESMT, quando houver, ou ao empregador, a paralisação de máquina ou setor onde considere haver risco grave e iminente à segurança e saúde dos trabalhadores;
i) colaborar no desenvolvimento e implementação do PCMSO e PPRA e de outros programas relacionados à segurança e saúde no trabalho;
j) divulgar e promover o cumprimento das Normas Regulamentadoras, bem como cláusulas de acordos e convenções coletivas de trabalho, relativas à segurança e saúde no trabalho; 3
l) participar, em conjunto com o SESMT, onde houver, ou com o empregador, da análise das causas das doenças e acidentes de trabalho e propor medidas de solução dos problemas identificados;
m) requisitar ao empregador e analisar as informações sobre questões que tenham interferido na segurança e saúde dos trabalhadores;
n) requisitar à empresa as cópias das CAT emitidas;
o) promover, anualmente, em conjunto com o SESMT, onde houver, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho – SIPAT;
p) participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção da AIDS.
5.17 Cabe ao empregador proporcionar aos membros da CIPA os meios necessários ao desempenho de suas atribuições, garantindo tempo suficiente para a realização das tarefas constantes do plano de trabalho.
Fonte: NR 05

URL FOTO
Licensor’s author: pressmaster – Freepik.com

Curso Investigação de Acidentes: Consulte-nos.

Conteúdo Programático

Curso Investigação de Acidentes

Escopo Normativo:
Inspeções e verificações quando pertinentes a ser avaliadas na Inspeção pela nossa Equipe multidisciplinar:
Conceitos básicos de investigação de incidentes;
Requisitos gerais e específicos;
Métodos de formulários e levantamento de evidências;
Características de entorno e consolidação das informações existentes;
Plano de investigação detalhada;
Definição de substancias químicas de interesse;
Coleta de vestígios no local do acidente;
Como deve ser a reação inicial a um acidente;
Identificação das evidências de partes;
Compreendendo a linguagem da análise;
Vantagens de boa análise;
Sistema de análise de eventos adversos;
Fatores ou condições relacionados com a ocorrência de eventos adversos;
Análise qualificada e  adequada;
Técnicas de elaboração de croquis;
Técnicas de fotografia pericial;
Análise das causas, identificação das causas básicas;
Caracterização de outros meios;
Elaboração do relatório de investigação;
Redução de riscos e proteção de trabalhadores;
Linguagem de análise e razões para se analisar eventos adversos;
Benefícios resultantes de um sistema de análise;
Fatore ou condições relacionados com a ocorrência de eventos;
Eventos a serem analisados e análise;
Coleta de dados e análise de informações;
Identificação das medidas de controle;
Plano de ação e normas de segurança e saúde no trabalho;
Concepções e os projetos de máquinas, equipamentos e produtos;
Sistemas de gestão de empresas e desenvolvimento tecnológico;
Condições de trabalho e confiabilidade dos sistemas;
Evento adverso, acidente de trabalho, incidente e circunstância indesejada;
Trabalhador, indivíduo do público, perigo e risco;
Consequências dos eventos adversos, fatal, grave, moderado, leve e prejuízos;
Probabilidade  de um evento ocorrer novamente;
Encontrar a causa do acidente e prevenir acidentes similares no futuro;
Cumprimento de determinação legal e determinação do custo de acidente;
Determinar o nível de conformidade legal da empresa com as normas de segurança vigentes;
Auxiliar em futuras reclamações e processos trabalhistas;
Comunicação do acidente de trabalho com um responsável;
Realização do primeiro atendimento e dos cuidados iniciais ao trabalhador acidentado;
Atuação voltada a prevenir danos adicionais e investigação de acidentes;
Identificação das causas e reportagem dos fatores indicados;
Desenvolvimento do plano de ação corretivo e implementação do plano;
Avaliação da efetividade corretiva e realização de mudanças para a melhoria contínua dos níveis de segurança e saúde dos trabalhadores;

Complementos da Atividade:
Conscientização da Importância:
APR (Análise Preliminar de Riscos);
PE (Plano de Emergência);
PGR (Plano de Gerenciamento de Riscos);
GRO (Gerenciamento de Riscos Ocupacionais);
Noções Básicas de:
HAZCOM – Hazard Communication Standard (Padrão de Comunicação de Perigo);
HAZMAT – Hazardous Materials (Materiais Perigosos);
HAZWOPER – Hazardous Waste Operations and Emergency Response (Operações de Resíduos Perigosos e Resposta a Emergências);
Compreensão da necessidade da Equipe de Resgate;
Importância do conhecimento da tarefa;
Prevenção de acidentes e noções de primeiros socorros;
Proteção contra incêndios;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver Habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e gerenciar o tempo de trabalho;
Porque equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Consequências da Habituação do Risco;
Causas de acidente de trabalho;
Noções básicas de:
Análise de modos e efeitos de falha (FMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de serviços (SFMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de Processos (PFMEA);
Análise de modos e efeitos de falha de Design (DFMEA);
Análise de modos, efeitos e criticidade de falha (FMECA);
Ferramenta Bow Tie;
Ferramenta de Análise de Acidentes – Método TRIPOD;
Noções sobre Árvore de Causas;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de Posto de Trabalho;
Riscos Ergonômicos;
Padrão de Comunicação e Perigo (HCS (Hazard Communiccation Standard) – OSHA;

Exercícios Práticos:
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação.

NOTA:
É facultado à nossa Equipe Multidisciplinar Atualizar, adequar, alterar e/ou excluir itens, conforme inspeção e sempre que for necessário, bem como efetuar a exclusão ou inserção de Normas, Leis, Decretos ou parâmetros técnicos que julgarem aplicáveis, estando relacionados ou não no Escopo Normativo ficando a Contratante responsável por efetuar os devidos atendimentos no que dispõem as Legislações pertinentes.

Curso Investigação de Acidentes